Cirurgia na adolescência pode?

30/11/2015 - Notícias

A fase da adolescência é cheia de conflito para todos, em maior ou menor nível. As mudanças corporais típicas da puberdade costumam aparecer de forma súbita, causando impactos diversos, positivos ou negativos. No caso das meninas, essas mudanças envolvem crescimento dos seios, alargamento dos quadris e depósito de gordura nas coxas e glúteos, enquanto para os meninos o desenvolvimento da região peitoral e mudanças nas dimensões faciais e na voz são bem marcantes. Essas transformações podem afetar o psicológico desses jovens, que podem sentir vergonha ou não aceitação de seus corpos, principalmente ao se espelharem em modelos midiáticos. E a dúvida acaba por permear os pais: será que os adolescentes podem fazer cirurgias plásticas?

A cirurgia plástica pode, sim, ser uma alternativa para melhorar a saúde física e emocional do adolescente. No entanto, em casos puramente estéticos é preciso tomar cuidado e refletir bem se essa é mesmo a melhor solução. Quer dizer, é comum que o imediatismo típico da juventude leve a tomar decisões precipitadas e que podem gerar arrependimento. A análise deve ser feita minuciosamente junto do médico cirurgião, que avaliará a indicação e encontrará o melhor solução para o paciente.

Como a puberdade não possui idade definida para acontecer, deve-se analisar a maturidade física e emocional do adolescente para definir se é apropriado fazer uma cirurgia. De um modo geral, com exceção das cirurgias de orelhas, que podem ser feitas já no início da adolescência, os procedimentos na face devem esperar o crescimento ósseo, e as cirurgias nos seios devem aguardar o desenvolvimento glandular.

Compartilhe: